"Máscaras contribuíram para manter o setor ativo em 2020"

(In Jornal T, 15 Fevereiro 2021)

"A resposta à pandemia através da produção de máscaras e outros EPI teve para a ITV uma tripla função. O presidente da ATP explica que além de impedir o fecho total da atividade nos meses de confinamento, assegurou o fornecimento de produtos essenciais e impediu também uma queda ainda mais acentuada das exportações da fileira no final do ano.

Em entrevista ao programa Portugal em Direto, da RTP, na passada sexta-feira, Mário Jorge Machado, presidente da Associação Têxtil e do Vestuário de Portugal (ATP), disse ainda que a produção deste tipo de equipamentos induziu uma aproximação entre as empresas, o CITEVE (enquanto centro de investigação) e a comunidade universitária, no quadro de um esforço conjunto para responder à necessidade, que passou a ser de todos os dias, de proteção individual.

“A regra das máscaras sociais também foi espalhada pela Europa, os laboratórios portugueses intervieram na criação de diretivas noutros países europeus e o setor têxtil, tendo muita capacidade produtiva, conseguiu produzir muitos milhões de máscaras para Portugal e para o resto da Europa”, frisou Mário Jorge Machado.

Esta estratégia “foi fundamental para muitas empresas, que conseguiram sobreviver porque desenvolveram estes produtos”, permitindo a manutenção de numerosos postos de trabalho que de outra forma teria sido difícil preservar.

O video da entrevista pode ser visto aqui."

Language
PT-PT
Open drop down